Transições

2 Comments

A vida é cheia de fases e, para que elas se tornem positivas, acredito que devemos dar mais atenção às transições. Foi por esse motivo que resolvi tornar o blog ainda mais abrangente do que somente uma busca pela perda de peso. Acho que é um bom lugar para discutir também minha tentativa de tornar mais branda a transição para uma idade mais avançada. Eu sei, gente, não sou VELHA. Estou apenas falando sobre aceitar algumas mudanças que estão acontecendo comigo e parecem se acelerar depois dos 40.

Tudo começou quando minhas raízes brancas começaram a crescer nesse início de ano e resolvi pensar um pouco mais sobre as opções de tingimento de cabelos que fossem menos agressivas e me permitissem, no futuro, migrar para cabelos grisalhos sem todo o estresse que normalmente essse tipo de atitude desencadeia. Adoro o visual de quem assume os fios brancos. Tenho aqui em casa o melhor exemplo, já que minha mãe não tinge os cabelos desde antes de completar 40 anos. Exemplos mais conhecidos não faltam: Judy Dench é um de meus favoritos e também Jamie Lee Curtis.

Então pensei que o blog, além de falar sobre o meu processo de emagrecimento, poderia ajudar também quem quer envelhecer de forma mais natural, tentando manter a linha, a dignidade e (por que não?) a beleza mesmo com a passagem do tempo.

Para ‘selar’ esse dia de início de transição (pelo menos no que compete aos meus fios grisalhos) fui ao salão falar com a minha querida Gorete – responsável por meus cabelos há anos e também quem transformou minhas sobrancelhas com maquiagem definitiva (o que mudou a minha expressão de uma maneira sem igual e você pode ler o post sobre isso aqui). Queria perguntar a ela a melhor maneira de começar esse processo para não ficar com cara de desleixada, pois tenho uma quantidade razoável de cabelos brancos e ao deixá-los crescer a imagem poderia não ser tão bonita.

Pensei em usar henna natural. Mas quando eu quisesse tirar seria difícil e os fios brancos ficariam muito tempo com aspecto amarelado, já que a versão natural vermelha é a única que não contém metais pesados e seria minha escolhida. Mas Gorete me explicou que seria melhor optar por um tonalizante como o Colour Touch, em uma nuance próxima da cor natural dos meus cabelos. Assim os fios brancos ficam um pouco mais claros que a cor natural e quando eu quiser tirar e assumir de vez os brancos é só parar de aplicar que os cabelos vão voltando ao estado natural com as lavagens. Gostei da ideia e já agendei meu horário. Depois conto pra vocês o que achei do resultado.

E vocês? O que acham dos fios brancos?

 

Advertisements

Dia D

Leave a comment

Escolhi a primeira segunda-feira do ano para fazer jus ao ditado que diz que dieta se começa às segundas. Era o meu dia D. Nada deu certo: primeiro as dores, depois a esteira quebrada e a chuva… Será que era pra eu desistir??? Acho que não!

Antes de contar o que aconteceu, deixo aqui registrado os números que tanto me assustam: Altura 1,66m x Peso 72kgs. Para alguém cujo peso normal variava entre 55 e 57 kgs é muito. E eu não fico me enganando porque isso não leva a lugar nenhum. Estou e – principalmente – me sinto gorducha. Os movimentos me incomodam, o cansaço me incomoda, o espelho me incomoda ainda mais.

Apesar do blog e dos preparativos terem iniciado alguns dias atrás, determinei que o primeiro dia oficial seria aquele em que a rotina de exercícios físicos passaria a valer, mas sempre temos os nossos probleminhas e comigo, claro, não foi diferente. Mas apesar de tudo, comecei aumentando o tempo de meus passeios com a Vida (a minha filha de pelos). Depois consertei a esteira e aos poucos, coloquei ela pra funcionar.

Os ponteiros da balança ainda nem se manifestaram. Faz pouco tempo e não existe fórmula mágica.

Ainda é pouco para o que preciso alcançar, mas não dá pra sair de totalmente parada a maratonista em alguns dias. Meu plano está baseado em um ano inteiro de transformação e só não desistir já será um grande desafio.

Quem sabe daqui algum tempo não começo a participar de corridas de rua novamente? O segredo é ir com calma, mas sem repouso.

O calendário orgânico

Leave a comment

Ontem deveria ter sido o meu dia 1, se tudo tivesse saído como o programado. Não saiu. Na pressa de fazer acontecer algo que me enche de ansiedade, criei um calendário baseada apenas na minha vontade e na agenda, deixando de lado um dos fatores mais importantes a ser considerado: o calendário orgânico.

Você se pergunta então: que porcaria é essa de calendário orgânico? Eu respondo: aquele que leva em consideração as fases de transformação mensal, principalmente se você for uma mulher e, como eu, tiver períodos de dor que podem ser fatais para qualquer plano antecipado.

Acordei na segunda-feira rolando na cama de dor. A probabilidade de que eu já soubesse que isso poderia acontecer era altíssima, mas o meu nível de ansiedade por iniciar meu programa de exercícios era tamanho que esqueci completamente das datas do meu calendário mensal pessoal. Desde muito nova sofro com isso e, apesar dos anticoncepcionais terem diminuído a intensidade, ainda preciso de uma quantidade de medicamento que é praticamente um tiro de sedativo. E depois de tomar minha dose de misericórdia caí na cama e acordei 5 horas mais tarde, agradecendo pelas descobertas médicas que conseguem, em alguns casos, deixar a dor em um nível administrável.

Foi uma grande decepção para mim ter de aceitar que minha planilha não começaria na data que escolhi. Meu primeiro pequeno fracasso. Mas lembrei de outras vitórias que eu já havia conquistado e que o roteiro também não tinha sido exatamente aquele a que eu tinha me programado. A vida não é uma sucessão de acontecimentos sem falhas, muito pelo contrário.

Sigo em meu período de dores, tentando colocar freio em minha vontade de pular etapas e sair correndo por aí até gastar tudo o que não me pertence nesse corpo. Mas sei que de nada adiantaria. Melhor considerar mais os meus tempos internos, que precisam ser respeitados para que meu plano – que é algo muito maior – se concretize.

Com a ajuda de vocês, sei que vai dar certo.

Escolhas

Leave a comment

Adoro comer e sou uma pessoa preguiçosa. Combinação perigosa para a saúde e beleza do corpo, principalmente quando acompanhada de um estado depressivo que, no meu caso, me faz comer ainda mais por ansiedade (infelizmente não sou uma daquelas sortudas que perde a fome quando fica triste). Dá para entender porque meu peso subiu.

Nesse começo de caminho, percebi que terei de fazer escolhas melhores se quiser ter sucesso e alcançar a minha meta. Confesso que está complicado, mas estou tentando diminuir alguns vícios que podem comprometer os resultados. Um exemplo claro é: adoro Starbucks. Fiquei completamente viciada quando viajei pra fora e provei. Antes não existia por aqui, mas agora é quase uma epidemia (no meu bairro parece abrir uma a cada 5 quadras nos últimos meses…).

Ontem uma amiga veio me ver e – pronto! – acabamos em uma das unidades aconchegantes e cheirosas da rede de cafeterias. Fiquei ali na frente do balcão olhando, olhando, olhando. Tentando escolher algo mais light do que o meu tradicional Frappuccino de caramelo tamanho Venti, que deve ter perto de 600 calorias. Acabei tomando um Caramel Macchiato tamanho Tall com adoçante, aproveitando que o tempo estava mais fresquinho, e economizei 400 calorias.

Claro que o ideal seria evitar as misturas deliciosas de café, mas acho que não dá pra querer mudar tudo super rápido e drasticamente. Meu pensamento na hora de eleger o que comprar foi “o que posso tomar, que seja menos calórico, mas que tire minha vontade”?

Caramel Macchiato Starbucks

O duro é que não sou mais uma garota que curte baladas e as pessoas quando se encontram para conversar normalmente escolhem comer. Tomar café, almoçar, jantar. É um desafio para o bolso e, principalmente, para a conservação da boa forma física. Por que as pessoas não combinam de conversar andando no parque? (Bom, eu tenho uma amiga – somente UMA – que faz exatamente isso, mas ela é exceção à regra).

O segundo desafio é emagrecer sem ter um suporte financeiro legal. Fica bem mais fácil mudar quando você tem grana para pagar o pilates, o personal trainer, as massagens. Semana passada estava assistindo tevê e por acaso acabei passando por um canal a cabo que estava apresentando um reality de perda de peso no último capítulo. A moça que eu via no palco devia pesar menos do que eu agora (e pesava mesmo, depois descobri). Ela passou por um período de um ano que incluiu o treinamento e acompanhamento de um personal quase todos os dias e mudanças na alimentação sob a consultoria de uma nutricionista especializada. Pesava 160 quilos quando começou. A balança mostrou 67 quilos na pesagem final. Em um ano ela perdeu cerca de 90 quilos (NOVENTA!).

Como o ser humano trabalha muito melhor quando tem referências, foi automático pensar que eu precisava perder ‘somente’ 17 quilos. Ver aquilo me fez pensar que meu objetivo era possível e mais fácil do que havia pensado antes.

Como é preciso começar de alguma maneira (e ciente de que não tenho acesso àquela assessoria toda que a participante teve e que custa uma pequena fortuna), fazer minhas escolhas com mais cuidado é um passo importante.

Sobrancelhas novas

4 Comments

Sei que o assunto maquiagem definitiva assusta algumas pessoas e tenho de ser sincera: existem muitos profissionais mal preparados por aí. Eu mesma me decepcionei algumas vezes e achei que nunca mais teria as sobrancelhas dos meus sonhos.

Tive sorte. Descobri por acaso que, Goretti Nogueira, a proprietária do salão de beleza que frequento há alguns anos é uma especialista nisso, uma artista.

Minha autoestima estava no limite com o sobrepeso. Quando comecei a tomar o remédio para a queda de cabelo, todos os fios começaram a crescer – incluindo minhas sobrancelhas (cujos fios são extremamente grossos e o desenho cheio de falhas). Agora imagine que você tem um desenho de sobrancelha feito de forma errada, fora do traçado original, mas não sabe disso. Os pelos começam a nascer abaixo da linha desenhada na sua pele e você descobre que durante anos aquilo foi feito de um jeito que, é claro, impedia que os pelos nascecem no lugar correto, pois você os arrancava!

Fiquei extremamente chateada. Como faria para corrigir isso?

Foi quando falei com a Goretti, do Gahanne Beauty (os dados de contato estão na página Eu indico do blog e no final deste post). Ela me disse que poderia apagar o traçado errado e redesenhar as sobrancelhas seguindo o arco original.

Confesso que fiquei desconfiada. Apagar? Como? Mas depois descobri que, com um líquido especial que atrai os pigmentos metálicos, era possível retirar a tinta da pele. Não vou mentir: foi um processo longo, que exigiu algumas sessões intervaladas para cicatrização da intervenções, mas o resultado final é simplesmente sensacional. O desenho anterior sumiu e os arcos foram totalmente redefinidos.

Por um valor médio de 600 reais (que pode ser parcelado), agora tenho as sobrancelhas que sempre quis. E a diferença em minha expressão e nos contornos dos olhos não tem preço.

Image

::::::::

Gahanne Beauty: Avenida Pavão, 110, Moema, São Paulo, SP. Tel: 11 3892-3575.

Prioridades

Leave a comment

Há cerca de um ano, vivi um dos mais tristes períodos da minha vida. Eu, que já estava uns bons 7 quilos acima de meu peso normal, vi a balança disparar e me mostrar números que eu nunca imaginei que fosse ver ao olhar pra baixo no silêncio acusador de meu banheiro.

As opções de roupa em meu armário foram diminuindo, conforme o peso ia subindo. Hoje é uma tortura abrir aquelas portas e ver peças que eu amo – que não passam de meus joelhos ou não fecham.

O peso aumentado não foi a única surpresa desagradável de minha depressão. Minha pele ficou toda cheia de erupções e meu cabelo começou a cair de forma acentuada. Eu estava triste e meu corpo me dizia que estava sentindo essa mudança dentro de mim.

Depois de meu período de luto (que todas as pessoas deveriam aprender a respeitar quando algo ruim acontece em suas vidas), decidi fazer uma série de mudanças, mas determinei que isso acontecesse de forma gradual.

Coloquei tudo aquilo que queria mudar com mais urgência em uma lista e defini minhas prioridades. Para facilitar a execução do meu plano, escolhi mexer primeiro naquilo que seria (teoricamente) mais fácil.

Comecei a cuidar dos problemas de pele, me policiei para não esquecer o filtro solar fator 70 e vi meu rosto voltar aos poucos à sua aparência normal – embora algumas manchas persistam e o tratamento continue.

Tomei um remédio para cabelos que fez a queda parar e, voilà, acelerou o crescimento, deu brilho e força aos fios (prometo falar dele aqui para vocês), mas como efeito colateral fez crescer os pelos de minhas sobrancelhas que há muito tempo eu tirava de modo errado e onde existia uma maquiagem definitiva que – eu descobri de repente – não estava no lugar certo. Por sorte, caí nas mãos de uma profissional extremamente qualificada que apagou a maquiagem anterior e desenhou novas sobrancelhas seguindo meu traçado natural (também prometo falar dela aqui na página eu indico).

O peso foi deixado para o final, claro. É a parte mais difícil para mim e sei que muitas pessoas entendem do que estou falando. Apesar de estar morrendo de medo de fracassar, decidi que a virada para 2013 e a chegada dos 41 anos seria o momento ideal para colocar em prática a parte mais delicada de meu plano.

Este blog será meu diário nessa aventura que eu espero poder celebrar como uma vitória daqui a exatamente 365 dias, um ano.

Um grande abraço a todos aqueles iniciam essa jornada comigo e me acompanham por aqui.