As vantagens do bom conteúdo

Leave a comment

É extremamente gratificante entrar na administração do blog e verificar que, mesmo depois de um ano e meio sem postar, são mais de 10 mil visitas todos os meses. Acredito que existe um motivo para isso: me preocupar sempre com a qualidade do conteúdo que publico.

O que me motiva não são os números em si, mas saber que – de alguma maneira – posso ajudar pessoas a melhorar o modo como vivem, sua saúde, seu bem estar. Não quero ser blogueira fitness, mas quero que todos saibam, principalmente as mulheres, que é possível se sentir linda e ter qualidade de vida – mesmo quando parece que tudo nos diz que não.

Não tive tempo para atualizar o Segredos de Liquidificador nos últimos tempos, mas a boa notícia nesse Dia Internacional da Mulher é que estou voltando a cuidar de mim com mais carinho novamente e escrever faz parte disso.

Ainda estou devendo meu “antes e depois” e ele deve aparecer por aqui logo menos, prometo. Enquanto isso, tentarei manter a publicação de matérias que continuem incentivando a melhora na vida de cada um de vocês – que me dão a honra de sua companhia por aqui.

::::::::

Leia também:

Advertisements

Eu Amo Correr: livro de relatos e dicas pra quem curte corrida

Leave a comment

Um livro que conta histórias de apaixonados por corrida. São 50. Cheias de relatos emocionantes e motivos diversos para amar correr. Esse é o Eu Amo Correr, da Editora MOL, um livro lindo, acabamento e diagramação de primeira, com conteúdo de qualidade e dicas úteis pra quem está começando ou para quem já é um adepto confesso de sair por aí com um tênis nos pés e muitos pensamentos na cabeça.

Na loja virtual da Banca do Bem, que vende os exemplares, dá pra comprar somente o livro Eu Amo Correr [R$ 43, valor com frete já incluído para qualquer lugar do Brasil] ou diversos combos da coleção Eu Amo, que ainda tem os livros Eu Amo Bike e livro Eu Amo Viajar.

E o mais legal é que todas as publicações da MOL têm contrapartida social, ou seja, parte da renda é doada a instituições e ajuda um monte de gente pelo Brasil todo.

Compre pra você ou como um presente especial para alguém especial. Vai ser sucesso na certa.

Leia também:

Nude pra que te quero

8 Comments

Despir-se. Das roupas e das máscaras. Fazer um ensaio de nu nos deixa vulneráveis mas é nesse momento que somos mais bonitos – quando somos apenas nós, sem disfarces. Uma pena que a vida automática e intensa que vivemos nos dias de hoje faça com que a gente transforme isso em algo ordinário. Não é.

Semanas atrás recebi um convite inesperado: posar sem roupa para um fotógrafo extremamente talentoso e sensível, cujo trabalho admiro e acompanho com atenção. Me pegou de surpresa porque, sinceramente, pensava que o tempo para esse tipo de experiência tivesse passado. Tantas meninas lindas e novas por aí! Acho lindo, mas será que eu teria algo de interessante para mostrar?

Sempre amei fotografias. Acredito que uma de suas muitas capacidades está em nos envolver e nos transportar para mundos nos quais talvez não vivamos, mas que nos fazem bem só de olhar. Meu carinho especial pelos retratos está na possibilidade de captar o melhor de cada pessoa e depois presenteá-la com imagens que a farão se sentir bela sempre que olhar para elas. Quase não tive quem fizesse isso por mim, mas me lembro muito bem de como me senti nas vezes em que aconteceu.

Uma delas foi um pouco depois que completei 28 anos. É, faz tanto tempo que as fotos foram feitas em filme, reveladas e guardadas com cuidado. Tanto cuidado que sumiram, não sabia onde estavam e acabei esquecendo que existiam. Até esse último fim de semana. Ao arrumar alguns envelopes arquivados, qual não foi minha surpresa (boa) ao encontrá-las, poucas – apenas seis!, um pouco amareladas pelo tempo, mas com o poder de me fazer sentir maravilhosa. De novo.

Foi nesse momento que eu percebi que certamente as fotos que farei agora, me farão esse mesmo bem outros dez anos pra frente. Que irei pensar o quanto eu era bela com mais de quarenta, assim como hoje penso em como o era também aos quase trinta.

É por isso que quero nudes. Não é sacanagem, nem provocação. É amor. O próprio.

 

6 mitos sobre sono: o que você não sabe pode te deixar acordado a noite toda

Leave a comment

Todos sabemos que o sono é importante. Mas muita gente entende pouco sobre o assunto e acaba por se basear em mitos. Às vezes existe um pouco de verdade neles, mas quando estão errados o resultado pode ser desastroso: noites cansativas em que não se consegue descansar da maneira como se deveria.

Os seis mitos mais comuns sobre o sono:

  1. Tirar pequenas sonecas prejudica seu sono à noite > Na verdade, sonecas curtas – de 15 a 30 minutos – durante o dia podem recuperar o poder e a performance do cérebro fazendo com que se consiga seguir bem durante o dia e dormir melhor à noite. Mas é preciso que sejam curtas e tranquilas. Nada de dormir por duas horas no meio do dia, pois isso pode comprometer o seu sono.
  2. Precisamos de oito horas de sono à noite > Os médicos normalmente recomendam que se durma oito horas para que as pessoas se sintam na sua melhor forma. Tente sete e meia. Um estudo recente descobriu que quem dorme entre 6.5 e 7.4 horas por noite vivem mais do que quem dorme por 8 horas ou mais.
  3. Não se deve comer depois das 20h > Aquela pipoca das 21h não vai atrapalhar o seu sono. Nem sempre comer tarde da noite leva a dormir mal. O mais importante não é o horário e sim o que você está comendo. Sobremesas, café e açúcar serão provavelmente péssimas escolhas. Um estudo recente feito em ratos mostrou que comer carboidratos, o que eleva o nível de insulina no sangue, reseta o mecanismo responsável por dizer ao corpo quando acordar e quando dormir. É preciso apenas prestar atenção nas quantidades e se aquele alimento que se está ingerindo não é causador de indigestão para quem o está ingerindo.
  4. Você pode compensar o sono > Tem um débito grande de sono? Muitas pessoas tentam consertar esse déficit dormindo mais nos fins de semana. Isso provavelmente não vai funcionar para quem está em privação de sono crônica, ou seja, quem dorme pouco repetidamente. Uma alternativa melhor é tentar tirar sonecas durante o dia ao invés de esperar o fim de semana para dormir até o meio-dia.
  5. Quanto mais velho você é, menos sono você precisa > Existe uma ideia de que as pessoas mais velhas não precisam dormir tanto quanto os jovens, mas isso é uma lenda. Adultos mais velhos precisam de tanto sono quanto pessoas mais novas. Se uma pessoa precisa de sete horas de sono quando tem 30 anos, precisa de sete horas também aos 70. Um sono pobre pode ser sinal de outros problemas como apnéia, mal de Parkinson, artrite reumatóide, entre outros. Não aceite simplesmente que dormir pouco é normal.
  6. Exercícios curam insônia > Pessoas que sofrem com a insônia tentam de tudo para reverter esse problema. Muitos acreditam que uma boa sessão de exercícios pode curar sua inabilidade para dormir. Mesmo ajudando muito, exercitar-se não é a resposta para todos os problemas de sono como muitos esperam que seja. Exercícios não curam insônia, mas se exercitar ou se manter ativo por 30 a 60 minutos todos os dias pode ajudar a melhorar a qualidade do sono.

O melhor a fazer em casos de insônia crônica e privação extrema de sono é procurar um médico e descobrir a causa do problema. Dormir é importante demais para a saúde e deve ser tratado como prioridade.

[Matéria original]

::::::::

Leia também:

De volta à programação normal

Leave a comment

O período de festas passou, o ano mudou e as férias estão terminando. Todo esse simbolismo de recomeço é ideal para retomar com maior atenção e regularidade os hábitos saudáveis e os objetivos que ficaram um pouco esquecidos com o agito na virada de ano.

Prometo publicar nas próximas semanas meu primeiro post de evolução sobre esse período que já completou dois anos (parece que foi ontem que comecei a escrever aqui, o tempo voa!). Mas posso adiantar que todo o sacrifício para reprogramar minhas atitudes diante da vida valeram a pena.

Se você também está trilhando o mesmo caminho que eu, esse é o momento de usar a energia desta época do ano para dar contnuidade ou até mesmo para acelerar o seu projeto de qualidade de vida e bem estar.

Não é preciso muita coisa: somente força de vontade e disciplina.

O melhor incentivo são os resultados que você observa no espelho, nas roupas, na sua autoestima. E isso não tem preço.

Vamos lá?

Cloro: vilão silencioso na água que você bebe

2 Comments

Enferruja, corrói, é oxidante ao extremo. Parece que estou falando de um veneno perigoso, mas estou falando do cloro – uma substância que nem todo mundo sabe, mas é adicionada à água que recebemos em casa pelas centrais de distribuição pública. No caso de São Paulo, onde moro, a Sabesp.

É fato que o tratamento da água é importante para eliminar o risco de disseminação de doenças. E o cloro é um dos responsáveis por matar os microorganismos nocivos, como o terrível E.Coli, que pode causar apendicite, meningite e até mesmo levar à morte – o que acontece muito em países e áreas onde não há saneamento básico.

Mas se ele é mata esses organismos, o que ele faz ao nosso corpo quando o ingerimos?

A resposta, infelizmente, não é boa. Uma das principais consequências da alta ingestão de cloro é o desequilíbrio das funções hormonais. Por ter a mesma classificação atômica do iodo, o cloro confunde a glândula tireoide que passa a não produzir seus hormônios (T4 e T3) da maneira ideal, desequilibrando também o TSH que é, junto com o T4 livre, um dos dois marcadores que indicam doenças da glândula. O resultado é o desenvolvimento do hipotireoidismo, doença que pode reduzir a performance física e mental, além de elevar os níveis de colesterol, aumentando o risco de se ter problemas cardíacos. Alguns dos sintomas do hipotireoidismo são prisão de ventre, menstruação irregular, cansaço, dores musculares, pele ressecada, queda de cabelo, falhas de memória, ganho de peso, depressão, entre outros.

E tem mais: a baixa reserva de água aqui em São Paulo aumenta a presença de matéria orgânica na água que chega para ser tratada. O que isso tem de ruim? O cloro adicionado reage com ácidos liberados por essa matéria orgânica que vem das margens e dos leitos dos rios gerando os THMs ou Trihalometanos, considerados cancerígenos. Segundo estudos de pesquisas americanas, ao ingerir cerca de dois litros de água com THMs por 40 anos a chance de se contrair câncer de bexiga aumentam sensivelmente. Recentemente, o câncer de mama também foi relacionado ao acúmulo de compostos de cloro no tecido mamário, apontando-se que mulheres com a doença têm níveis de organoclorados (subprodutos da cloração) 50% a 60% mais altos em seu tecido mamário do que mulheres sadias.

Também nos Estados Unidos, a Agência de Proteção Ambiental (EPA) classificou o cloro como pesticida, cujo único objetivo é matar os organismos vivos. Ou seja, ao consumirmos a água tratada da rede sem filtrar o cloro de maneira efetiva, ele vai matar não somente esses microorganismos mas também as células e tecidos dentro do nosso corpo.

E nessa conta não estamos nem considerando a água do banho, que também penetra através da pele (estou tentando encontrar um chuveiro que filtre a água pra depois contar aqui pra vocês, mas ainda não consegui).

Os considerados bons filtros do mercado nacional filtram no máximo 80% do cloro da água que chega às torneiras. O filtro Purion que estou testando tem o selo do InMetro que comprova a eliminação de 99,28% do cloro presente na água. A taxa de retenção de partículas também é alta: 99,6%.

A verdade é que meus índices de TSH que estavam meio malucos há algum tempo (tenho hipotireodismo controlado por medicamentos há muitos anos) começaram a se normalizar aos poucos sem que fosse necessário mudar a dosagem de hormônio que ingiro todos os dias. Acredito que mais coisas boas estejam acontecendo em meu organismo graças a essa limpeza eficaz da água que estou bebendo. Até minha médica veio me perguntar o que eu estava fazendo de diferente. Isso me deixou feliz porque significa que os resultados do meu teste são muito mais extensos e positivos do que eu poderia esperar.

As experiências por aqui continuam a todo vapor. Prometo voltar pra contar tudo pra vocês de tempos em tempos.

::::::

Leia também:

Sem pressa, mas sem repouso

4 Comments

Pouco menos de um ano e meio atrás eu comecei a delinear o Segredos de Liquidificador. Criei o blog, mas comecei realmente a escrever periodicamente nele a partir de outubro de 2013 – mesma época em que percebi que levar a sério algo que parecia ser bobeira poderia me ajudar muito a alcançar os objetivos que havia traçado para minha mudança de estilo de vida.

Pode parecer que não, mas atualizar um blog (que não é sua principal fonte de renda) é uma tarefa que exige organização, vontade e disponibilidade. Nem sempre é possível manter tudo funcionando como seria ideal. Também acredito que a curadoria de conteúdo é muito importante. Sempre trabalhei com isso e coloco uma atenção especial em oferecer aqui no blog informações que realmente acrescentem algo à vida das pessoas que acompanham os posts. Não tenho nada contra, mas prefiro reduzir ao mínimo postagens com jeito de diário pessoal.

Confesso que nas últimas semanas, por vários motivos, comecei a pesar a utilidade do blog. Mas olhando com calma os comentários nas publicações e os acessos, a felicidade de saber que estou ajudando tantas pessoas a melhorar, nem que seja apenas um pouco, sua qualidade de vida, me fez respirar fundo e tentar segurar mais um pouco.

Em outubro devo colocar aqui as esperadas fotos do meu processo de emagrecimento: o meu antes e depois (provavelmente durante, pois pretendo continuar melhorando sem data de vencimento para isso). Sim, os resultados positivos existem e espero que até lá melhorem ainda mais e outros tantos posts úteis sejam publicados.

A torcida de vocês tem sido muito importante. Obrigada.

Sempre irão existir épocas mais cinzas ou escuras. Mas isso não quer dizer que a luz não continua lá, não é mesmo? :)

© monica march

Ballet supera natação em alguns benefícios ao corpo

2 Comments

Pesquisadores britânicos acabam de anunciar que o balé clássico traz mais benefícios ao corpo do que a até então imbatível natação. No estudo, os bailarinos participantes se mostraram mais fortes do que os nadadores. Também tiveram resultados superiores em testes de flexibilidade e equilíbrio. Até no quesito porcentagem de gordura corporal eles se saíram melhor do que o pessoal das piscinas.

A grande vantagem do balé, diz o estudo, é trabalhar os músculos sem encurtá-los, como faz a musculação, por exemplo. A dança também desenvolve a coordenação motora. Mas a natação ainda se mostrou superior em alguns aspectos como resistência, força nos músculos anteriores e posteriores.

Captura de tela 2014-04-14 16.33.18Sou seguidora de alguns perfis de qualidade de vida, esportes e alimentação saudável no Instagram. A receita de creme de papaya sem sorvete, super light e deliciosa veio de um deles, como já contei pra vocês por aqui.

Sou uma incentivadora da disseminação de boas fontes, de gente que passa informações que agregam valor à nossa vida. Hoje, a dica é o Instagram @panelaetenis, da Gigi Vilela, de onde vieram os dados sobre essa pesquisa. Vale seguir, se você curte o lado bom da vida.

::::::::

Leia também:

 

Circuito Vênus: inscrições abertas

Leave a comment

O Circuito Vênus, precursor das corridas de rua dirigidas exclusivamente ao público feminino, acaba de abrir as inscrições para sua edição 2014, com organização da Iguana Sports e realização em 1 de junho, no Jóquei (etapa de SP). A etapa RJ ainda não tem data e local definidos.

Os percursos são os mesmos: 5K e 10K. Surpreendentemente, o patrocinador – que se bem me lembro foi a Nike em todas as outras edições – agora é a Gillette, confirmando minhas suspeitas de que a P&G está querendo dominar o mundo junto com o Google… A cor da camiseta acompanhou a mudança e agora é azul (a segunda camiseta, de finisher, é cinza, mas só está incluída no kit mais caro). O primeiro lote tem preços que variam entre R$ 89 (luxo) e R$ 129 (super luxo). Assinantes do Sua Corrida têm desconto especial.

Sou fã confessa das corridas femininas, mesmo sabendo que os corredores que se denominam “de verdade” desprezam um pouco o conceito. Eu acho divertido. Sim, tenho como meta chegar às aclamadas meia maratonas, mas por que não aproveitar todo o caminho até lá da melhor maneira possível?

Então, se você pensa como eu, corra para fazer a sua inscrição porque normalmente as vagas esgotam bem antes da data limite. E no dia 1 de junho vem correr comigo.

::::::::

Leia também:

Dizer a si mesmo que vai conseguir ajuda na performance

Leave a comment

Mantras motivacionais têm poder e podem ajudar, de verdade, na melhora da performance esportiva. Dizer a você mesmo que não está tão cansado quanto pensa pode transformar essa afirmação em verdade, o que nos relembra que a comunicação do corpo com a mente é um assunto que apenas se começa a entender.

Isso é o que diz um novo estudo, publicado no Medicine & Science in Sports & Exercise, em que pesquisadores da Universidade de Kent, em Canterbury, Inglaterra, analisaram um grupo de 24 mulheres e homens jovens, saudáveis e fisicamente ativos perguntando a eles se estariam dispostos de pedalar uma bicicleta até o ponto de total exaustão.

A fadiga física é uma condição surpreendentemente enigmática. Os cientistas ainda não entendem por completo como o corpo sabe que já fez esforço suficiente. Muitos podem imaginar que a atividade cessa quando os músculos ficam sem combustível ou acabam os fluidos necessários para o seu funcionamento. Mas em estudos com roedores, mesmo depois de forçados a correr até cair, os cientistas descobriram reservas nos músculos dos animais. Fisiologicamente eles continuavam capazes de fazer mais exercícios, embora seus corpos não parecessem pensar o mesmo.

Tais experiências levaram alguns cientistas, recentemente, a propor uma nova teoria na relação entre exercícios e fadiga em que o cérebro, ao invés dos músculos, daria início ao processo de exaustão depois de receber e analisar dados enviados pelo corpo. Um elemento atrativo dessa teoria, muitas vezes chamado de modelo psicobiológico, é que ele permite um maior espaço de manobra. Se a exaustão é determinada pelo cérebro e é, em algum grau, subjetiva, então teoricamente os incentivos corretos durante o treino poderiam convencer o cérebro de que é possível ir mais longe ou se esforçar mais do que se imagina ser capaz ou do que o corpo parece permitir.

Essa possibilidade motivou 0 novo estudo, especificamente projetado para determinar se o autoencorajamento verbal durante o treino poderia afetar os cálculos da mente e evitar a fatiga.

Para testar a ideia os cientistas primeiro fizeram uma série de medições físicas nos voluntários para ser utilizadas como base. Depois, durante sessões individuais de laboratório, os voluntários pedalaram uma bicicleta ergométrica computadorizada usando 80% de sua – já pré determinada – máxima força até sentir que não poderiam mais pedalar e desistissem. Durante o processo, foram mensurados batimentos cardíacos, força de pedalada e ritmo (pace). Com eletrodos fixados na testa e bochechas dos ciclistas, os pesquisadores também monitoraram suas contrações musculares faciais, aceitas como um indicador psicológico de aumento do esforço físico, e perguntaram diversas vezes a eles durante e após a conclusão do exercício quão difícil o exercício parecia, em uma escala de zero a 10.

Uma vez que as medições foram anotadas, eles foram divididos aleatoriamente em dois grupos. A um dos grupos foi pedido que continuasse com sua rotina normal de exercícios pelas próximas duas semanas. Os voluntários do outro grupo foram treinados em “self-talk” (falar consigo mesmo, em tradução literal), o tipo de brincadeira – em voz alta ou silenciosa – que muitos atletas usam durante treinos para se motivar.

Para a maioria de nós, self-talk é algo casual e, quando se torna uma obrigação, pode ser desmotivador. No caso do estudo, entretanto, os voluntários escolhidos aprenderam como fazê-lo de uma forma encorajadora com frases previamente escolhidas pelos psicólogos – como “Você está indo bem” – ou outra opção utilizada pelos voluntários em treinos passados. As frases deveriam então ser repetidas com frequência durante seus treinos nas duas semanas seguintes.

Depois dos 15 dias, cada grupo voltou para o laboratório e foi submetido a outro teste de ciclismo até a exaustão, durante o qual os voluntários do grupo de self-talk continuaram a repetir seus mantras; alguns em voz alta, alguns em silêncio. Depois disso ficou claro para os pesquisadores que o self-talk reforçou os sentidos e a performance dos atletas. O grupo que falou consigo mesmo pedalou muito mais antes de sucumbir à exaustão do que os outros ciclistas, informando que o exercício pareceu mais fácil mesmo que seus ritmos cardíacos e expressões faciais tenham sido as mesmas do primeiro teste, o que significa que a exaustão física aconteceu da mesma maneira – a diferença é que eles se sentiram bem por mais tempo e não pararam no mesmo ponto. Os ciclistas do outro grupo, por sua vez, repetiram em sua maioria as performances de antes, pedalando por aproximadamente o mesmo tempo antes de desistir e sentir o grau de desconforto do primeiro teste.

O principal resultado foi o de que falar consigo mesmo de forma motivacional é melhor que não falar. Mas uma leitura mais aprofundada dos dados fortalece a ideia de que a exaustão física se desenvolve, em um grau considerável, na mente. Se o ponto no tempo em que as pessoas deixam de se exercitar fosse determinado apenas biologicamente, o self-talk não faria nenhuma diferença – mas fez.

Para ser eficaz, porém, o self-talk deve ser consistente, segundo os pesquisadores. O melhor seria incorporar frases que nos encorajam e repeti-las sempre, inclusive de forma sistemática, em treinos ou competições que se participe.

Ou seja, escolha a sua frase de incentivo e use nos seus treinos a partir de agora!

© monica march

© monica march

Fonte: The New York Times

::::::::

Leia também:

14 remédios simples e naturais para ficar mais bonita

Leave a comment

Existem pequenos “segredos” de especialistas que ajudam a ficar jovem e saudável, prevenir doenças e melhorar mais rápido de enfermidades quando elas aparecem. Tudo muito simples e natural – qualquer pessoa pode se beneficiar. Coloque em prática e observe os resultados!

Reduza rugas comendo peixe
De acordo com pesquisadores da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, a chave para ter uma pele sempre jovem está em se comer cerca de 170 gramas de peixe, três vezes por semana. Isso irá reduzir rugas e flacidez em 30%. Os peixes estão repletos de proteínas, minerais e gorduras ômega-3 – nutrientes que alimentam o colágeno e os músculos que mantém a pele macia e firme. O destaque vai para o salmão por ser também rico em astaxantina, um antioxidante que reduz linhas finas e rugas.

Combata a fadiga com chá verde
Beber chá verde ajuda a se manter energizado e focado com a vantagem de não causar agitação e nervosismo como quando se ingere café. O chá verde possui compostos que ajudam o cérebro a utilizar o açúcar presente no sangue como combustível e estimula a produção de hormônios energizantes, as endorfinas, segundo pesquisadores americanos da Universidade de Davis, na Califórnia. Beba duas a três xícaras por dia.

Se cure com música
Uma revisão de 14 estudos descobriu que os pacientes que ouviram uma hora de música suave todos os dias se recuperaram de lesões mais rapidamente. Eles também exigiam 25% menos analgésicos para a dor. O motivo? Escutar música em um ritmo relaxante reduz a produção dos hormônios prejudiciais do estresse, além de relaxar as artérias, melhorando o fluxo sanguíneo que leva nutrientes para os locais lesionados o que ajuda na reparação mais rápida dos tecidos. Segundo os estudiosos, a música toca e cura quase todas as células do corpo. Da próxima vez que se sentir mal, coloque algo calmo para tocar, feche os olhos e relaxe por cerca de uma hora.

Mate vírus com mel
O mel não pasteurizado é cheio de antibióticos naturais e enzimas curativas. Ingerir pequenas quantidades quando se está doente pode diminuir em até três dias o tempo de recuperação, segundo especialistas da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos. Suas propriedades tem destaque para combater complicações resultantes do clima frio, como gripes e resfriados. Duas colheres de chá ao dia são suficientes para acalmar dores de garganta, tosse e acelerar a recuperação de um adulto. Melhor do que qualquer medicamento.

Relaxe com chocolate amargo
Esse lanche de dar água na boca é rico em flavonóides, compostos que relaxam e abrem as artérias que enviam sangue rico em oxigênio para o cérebro – o que aumenta a memória, a concentração e o foco durante cerca de duas horas após sua ingestão. Mas é preciso tomar cuidado: pelo menos 80% dos chocolates encontrados nos supermercados hoje em dia têm alto teor de açúcar e muito pouco cacau, o que diminui muito o teor de flavonóides. A dica é comprar sempre barras que possuam mais de 70% de cacau em sua formulação e ingerir de 30 a 60 gramas por dia.

Eleve seu humor com vitamina D
Cerca de 80% das mulheres sofrem falta de vitamina D, segundo médicos da Universidade de Boston, nos Estados Unidos. Isso acontece principalmente pela falta de exposição frequente à luz solar direta. E deficiências dessa vitamina diminuem a capacidade do cérebro de produzir serotonina, o que pode levar a estados de tristeza ou mesmo à depressão. A boa notícia: tomar cerca de 2000 UI de vitamina D diariamente em forma de suplemento pode corrigir esse déficit em menos de dois meses. Uma semana depois de iniciar a ingestão já é possível sentir os efeitos da melhora.

Acabe com a ansiedade com respiração abdominal
O uso da respiração profunda abdominal é milenar e um dos preceitos básicos do yoga. É uma das formas mais simples e eficazes de combater o estresse e a ansiedade. Experimente: inale devagar e profundamente pelo nariz contando até sete, permitindo que seu estômago relaxe e se expanda enquanto faz isso. Prenda a respiração contando até quatro e vagarosamente expire pela boca contando novamente até sete. Repita o processo até que você se sinta relaxado. De acordo com pesquisadores canadenses,a respiração abdominal freia a produção do hormônio do estresse diminuindo a ansiedade em 63% após apenas um minuto.

Eu sou prova de que isso funciona e uso muito. É impressionante, sempre funciona.

Aumente a memória com açafrão
Está começando a se sentir um pouco esquecido? Adicionar açafrão à sua dieta pode aguçar a sua memória em 30% ou mais, sugere um estudo publicado pelo Journal of Neurochemistry. O ingrediente ativo da cúrcuma – a curcumina – é um dos mais poderosos antioxidantes nutritivos do cérebro já descobertos. Adicione 1/4 de colher de chá nas refeições quatro vezes por semana. Fica delicioso no atum, no arroz e em pratos com frango.

Melhore sua imunidade com legumes e verduras
Legumes e verduras são ótimos para prevenir doenças de todos os tipos. Cenouras, pimentões e pimentas, batata doce, couve – eles são campeões no aumento da imunidade. Quanto mais colorido o prato, melhor. Isso porque é no pigmento da planta que estão os nutrientes que deixam o trato respiratório saudável (evitando que os vírus possam se fixar no organismo) e aumentam a produção  de células do sistema imunológico que combatem as doenças. Comer duas xícaras por dia, misturando ingredientes, pode reduzir o risco de se adoecer pela metade, dizem pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Los Angeles.

Fortaleça seu coração com nozes
Desfrutar de 1/3 de xícara de nozes por dia pode cortar o risco de um ataque cardíaco pela metade e adicionar quase três anos de vida saudável para sua vida, dizem pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Los Angeles. Isso porque essas delícias crocantes são uma das mais ricas fontes naturais de gorduras monoinsaturadas com propriedade de curar artérias. Consuma como lanche entre as refeições.

Perca peso com um bambolê
Nas primeiras tentativas pode parecer difícil, mas depois de algumas semanas, se você insistir, a prática do bambolê pode ajudar – e muito! – a eliminar as gordurinhas localizadas principalmente na região da cintura. Simples de usar, é possível bambolear enquanto se assiste tevê, por exemplo. Com 10 minutos, duas vezes ao dia, já se consegue bons resultados.

Previna picos de açúcar no sangue com canela
De acordo com pesquisadores do USDA, acrescentar 1/2 colher de chá de canela em sua dieta diária pode melhorar o controle do nível de açúcar no sangue em 20% ou mais – pois a substância diminui a absorção de carboidratos no intestino delgado. As oscilações dos níveis de açúcar no sangue causam fortes desejos por doces, o que acaba se transformando em um círculo vicioso. A adição de canela ajuda a diminuir a sensação de fome, evitando que se fique beliscando e desincha.

Diminua dores com cochilos
Pelo menos 67% dos mulheres irão lutar com dores de cabeça, dores nas costas, nas articulações ou outras dores somente este ano. No entanto, estudos da Universidade de Cornell sugerem que dormir um pouco mais pode diminuir o desconforto pela metade em apenas um mês. Dormir bem aumenta a produção do hormônio do crescimento (GH) que reduz a inflamação e acelera a cicatrização de tecidos danificados. Oito horas de sono são suficientes para prevenir dores. Em semanas onde isso não for possível, tente cochilar alguns minutos depois do almoço ou à tarde, de preferência antes das 15h.

Desligue os desejos por doces com aperitivos de frutas
Quando bater aquela vontade de atacar um doce, comece ingerindo alguns pedaços de fruta. Normalmente isso é suficiente para desligar o desejo de comer algo doce mais calórico e menos saudável. A recompensa: os antioxidantes curativos das frutas não só protegem contra doenças cardíacas e câncer, mas também conta o envelhecimento do cérebro, além de manter sua pele com a aparência até seis anos mais jovem, dizem pesquisadores da Universidade de Cornell.

Além de todas essas dicas super simples, não esqueça de perguntar ao seu médico de confiança quais são os segredos dele para se manter saudável.

E aí, mamain, você percebeu como eu fiquei mais bonita e saudável?

E aí, mamain, você percebeu como eu fiquei mais bonita e saudável?

Fonte: iVillage

::::::::

Leia também:

Do que eu falo quando eu falo de corrida: sofrer é opcional

Leave a comment

Haruki Murakami ficou mundialmente conhecido ao escrever romances como 1Q84, Minha Querida Sputinik e Norwegian Wood, traduzidos em quase 40 línguas. Do que eu falo quando eu falo de corrida é uma faceta totalmente diferente do escritor japonês, que antes de se dedicar somente à literatura foi dono de um bar de jazz em Tóquio.

O livro conta as impressões de Murakami sobre a corrida, esporte que passou a praticar para se manter em forma, e como os treinos duros, a força de vontade e a tentativa de superar as próprias marcas influenciaram a sua obra e sua vida.

Sofrer é opcional, diz Haruki MurakamiA identificação foi tão grande que, apenas um ano mais tarde, fez sozinho o trajeto de 42.125 metros que deu nome ao percurso mais longo das corridas de fundo – entre a capital Atenas e a cidade de Maratona, na Grécia.

Enquanto seus livros conquistavam leitores em todo o mundo, virou maratonista e triatleta.

O texto aqui é rápido e fácil, ferramenta que ajudou o escritor a se tornar um sucesso. Murakami sabe escolher palavras e seu texto flui. Fiquei apaixonada. Claro que é preciso dar o crédito ao tradutor, afinal o texto original é em Japonês. A tradução de Cássio de Arantes Leite com publicacão da editora Alfaguara ficou sensacional. Coisa rara por aqui. Deu gosto de ler.

Para quem curte corrida e gosta de um livro muito bem escrito, recomendo demais. Então venha comigo. Como bem diz o próprio autor, para seguir em frente, é preciso manter o ritmo.

::::::::

Leia também: